#

O novo perfil do viajante internacional

E aí, pessoal. Tudo bem?

Muito tem se falado sobre os novos obstáculos para se fazer uma viagem para os Estados Unidos.

Dólar alto, IR sobre envio de remessas para o exterior, especulações políticas, crise econômica, dentre outros.

Tem muita gente deixando de viajar por conta disso sem ao menos se aprofundar mais no assunto e ver que o sonho de viajar para os EUA ainda é possível sim, só requer alguns ajustes.

Com isso, temos percebido um novo perfil de viajante: pessoas que buscam por passagens aéreas mais em conta, reduzem a quantidade de parques a visitar, escolhem melhor os locais onde farão suas refeições, reduzem consideravelmente a lista de compras, encurtam o período da viagem, além de utilizar outras estratégias que, no final das contas (literalmente), farão com que os custos totais da viagem sejam tão reduzidos a ponto da variação cambial praticamente não impactar, inclusive contratando consultores de planejamento para suas viagens. E isto, claro, sem deixar de cumprir o maior objetivo das férias em Orlando, que é curtir muito e viver momentos inesquecíveis com a família e amigos.

Walt Disney World Photo Gallery Disc

Um claro exemplo do que estamos falando pode ser visto por quem visita os parques da Disney constantemente, como é o nosso caso.

Semanalmente, vemos multidões se aglomerando para ver os shows nos parques, visitando Disney Springs… Milhares de pessoas curtindo suas férias, enfrentando as filas das atrações, que na grande maioria das vezes, não costumam ter menos do que 40 minutos… Hotéis com 100% de ocupação o ano todo, lojas abarrotadas de gente, trânsito para chegar aos outlets nos finais de semana… Brasileiros por todos os cantos.

Quem está planejando corretamente não está deixando de viajar. Porém, aquela viagem de 15 dias com 10 parques, overdose de compras, restaurantes maravilhosos, shows e eventos extras, precisou ser transformada em uma viagem mais objetiva.

dolar

O maior exemplo de ajuste que é possível notar nos últimos meses são os preços das passagens aéreas.

No ano de 2011, por exemplo, quando o dólar variava próximo a dois reais, chegamos a pagar U$ 1.200 por passagens de ida e volta entre RJ e Orlando. Total de R$ 2.400 por pessoa.

Em 2015, com o dólar já na casa dos quatro reais, muitas Cias Aéreas venderam as mesmas passagens (RJ x Orlando x RJ) por cerca de U$300. Total de R$ 1.200 por pessoa.

Percebe-se que mesmo com o dobro do valor do câmbio, o total em Reais foi a metade em relação a 2011.

avião

Os itens relacionados acima não são inventados. Eles são um fato, que vemos diariamente repetidas vezes com nossos clientes.

Uma nova forma de viajar para Orlando surgiu. E não tem nada de ruim nisso.

O imposto e o dólar alto impactam, porém não impedem quem realmente quer viajar e se planeja para isso.

Foi pensando neste novo perfil de viajante que criamos um guia com 10 estratégias práticas para aplicar durante o planejamento e durante a viagem e fazer com que os custos se reduzam em até 3 mil dólares por pessoa.

Você pode conhecer clicando aqui.

ebook_aberto

comoeconomizar_01

Boa economia e até o próximo post!

Se sua viagem está perto e você ainda não fez o seu roteiro de viagem, conheça o guia completo Rumo a Orlando clicando aqui. Temos certeza que ele ajudará bastante na sua viagem, pois tem 23 dias de programação sugerida, passo a passo e indicações de agendamento de Fast Pass, guia de GPS completo com endereços, sugestões de locais para compras e restaurantes, rota a seguir dentro dos parques e diversas dicas importantes para uma viagem internacional.

ipad2

Se inscrevam em nosso canal no Youtube para não perderem nenhuma dica nossa sobre Orlando.

 

Acompanhe nossos passos:

INSTAGRAM

FACEBOOK

error: Conteúdo protegido.